Você aprecia sua própria companhia?

By  | 

Comecei a escrever esse texto pro Instagram, mas aí me emocionei (pensei em mamis, né?)… Resolvi vir pra cá. Aqui cabe mais texto (e mais sentimento).

Eu cresci em um lar bem cheio. Cheio de gente, de barulho, de energia e de amor. Minha mãe era, definitivamente, 3x mais virada no Jiraiya do que eu. Era tanta energia dentro do corpitcho daquela mulher que ela falava gritando HAHAHA.

Quando a família da minha mãe se reúne, você acha que eles estão brigando, de tão alto (e de tão teatrais) que são. São capazes, inclusive, de conversar cerca de 3 assuntos ao mesmo tempo com maestria.

Crescendo em um ambiente assim, eu passei cada vez mais a apreciar o prazer da minha própria companhia. E, por mais que eu seja uma pessoa de energia quase inesgotável, eu também amo o silêncio. Hoje gosto igualmente de estar sozinha e de estar acompanhada.

Hoje eu me convidei para tomar um café comigo mesma. E eu aceitei, claro!

É engraçado estar sozinha em um local em que todos estão acompanhados. Confesso que é até prazeroso! Eu sempre defendi a ideia de que pra você ser uma boa companhia pra alguém e para que as pessoas apreciem a sua presença, você precisa, antes, ser uma bom companhia para si mesma. Precisa se curtir, conversar com você e até mesmo auto entreter.

Você já convidou você mesma para fazer alguma coisa legal? Se não, por que não? Já parou pra refletir sobre isso?

Sempre que eu comento com alguém que fui ao cinema sozinha, recebo dois olhos arregalados olhando inconformados em minha direção. Imagina então o que esses olhos não fazem quando, além de dizer que fui sozinha, acrescento que amo ir, hahaha!

Ao mesmo tempo, entendo que pra muitas pessoas talvez não seja fácil se fazer companhia. Seja pela falta de costume, pela falta de jeito ou até mesmo por ter sentimentos de solidão. Sem contar que quando a gente tá sozinha, acaba se conhecendo melhor, e pode acontecer, vez ou outra, de você não gostar tanto assim da pessoa que esta conhecendo.

Em todo caso, acho que vale dar uma chance. Tem uma frase que eu gosto muito (e que aprendi na prática lá no intercâmbio) que diz que é impossível não gostar de alguém depois de conhecer a história dessa pessoa. Eu concordo! Sendo assim, você conhece sua história?

Aliás, aproveito para deixar três objetivos de vida aqui: Sair para beber, pegar estrada e ir num show (sozinha, claro!).

E você, já convidou você mesma para fazer alguma coisa legal? Se sim, foi bom se conhecer?

Beijos,
Bliminha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *